Neide HayamaTrabalho numa empresa de armários de ferro. Quando estou na parte de solda, uso luvas de couro, óculos e sapatos com ponta de ferro. Na pintura, preciso também de máscaras. Minoru Ido, 46 anos, mora em AichiEm fevereiro, o jornal Tudo Bem publicou a notícia de uma indenização milionária obtida por um brasileiro após ele sofrer grave acidente de trabalho. Esse brasileiro trabalhava na construção de uma linha de metrô, em Kanagawa, e foi atingido por um dos braços de uma retroescavadeira.

Ele perdeu parte do movimento do pescoço e dos braços. “Eu queria mesmo a minha saúde de volta”, afirmou o acidentado ao jornal, após saber da decisão do julgamento na Justiça. O jornal Tudo Bem havia feito antes uma denúncia, em junho do ano passado: dekasseguis estavam perdendo o dedo em fábricas de processamento de peixe do porto de Yazu, em Shizuoka. Sem condições de executar outros serviços, eles retornavam ao Brasil. Nos dois casos, os acidentes foram provocados por falta de uso de equipamentos de segurança. No caso do brasileiro que trabalhava na obra do metrô, a retroescavadeira não poderia ser usada para erguer dormentes de concreto. No das fábricas de peixe, os funcionários deveriam usar luvas com telas de aço. Por pressão da fábrica, que exige maior produtividade, ou relapso do próprio funcionário, que considera incômodos os equipamentos de segurança, os acidentes de trabalho são freqüentes.

Segundo dados do Ministério do Trabalho, em 2004, 1.620 pessoas morreram e 274 ficaram gravemente feridas devido a acidentes ocorridos no trabalho. Na província de Shizuoka, o número de estrangeiros acidentados aumentou mais de dez vezes desde 1993, ano em que foram registrados somente sete casos. A maioria, no entanto, ignora que pode ser a próxima vítima.
Cuidados gerais
- Sempre usar protetores individuais como óculos e máscaras
- Respeitar as normas da empresa
- Nunca colocar a mão quando a máquina estiver em operação
Andar no caminho indicado pela fábrica para evitar bater alguma parte do corpo nos carrinhos que transportam materiais ou ser atropelado por empilhadeiras
- Limpar as máquinas depois de desligá-las
Como se prevenir
Cursos, aulas, manuais e cartazes de fábrica traduzidos em português. Aos poucos, as empreiteiras que recrutam mão-de-obra brasileira vêm adotando medidas como essas para prevenir acidentes no trabalho. Uma delas, inclusive, utiliza um vídeo que mostra as etapas de trabalho a serem cumpridas desde a saída de casa até o final do expediente. Existem também fábricas com engenheiro de segurança brasileiro, que dá orientação aos conterrâneos, cartazes em português são espalhados em diversos pontos da fábrica e ocorre até um “patrulhamento” nas linhas de produção, a fim de detectar possíveis riscos à segurança do trabalhador.

Entre as máquinas consideradas perigosas está a prensa, onde as empresas colocam avisos de alerta escritos em português para evitar acidentes. Quando for necessário manusear o equipamento, a recomendação é desligá-lo e, depois, efetuar a operação.

A orientação sempre é, em caso de dúvida ou dificuldade, de não mexer na prensa e chamar o encarregado. Na falta de sensores, o trabalhador deve comunicar o fato a seus superiores, para que seja providenciado um meio de se prevenir acidentes. Mesmo andar pela fábrica também requer atenção para trabalhar com segurança e é preciso manter a atenção com as máquinas que oferecerem maior risco.

A lei determina que a empresa deve pintar faixas indicando o caminho a ser seguido pelas pessoas e pelos veículos. Ainda assim, é preciso ser cauteloso por causa de empilhadeiras que podem estar percorrendo o local e o motorista, às vezes, não enxerga o trabalhador. Quando se trata de segurança
Dicas para cada setor
Alimentação
Máscara contra gases, óculos de segurança, luvas e sapatos são necessários em setores como de fritura ou que lida com água quente. O trabalhador precisa estar atento para não sofrer acidente com as lâminas de máquinas que cortam alimentos. Nunca coloque a mão quando ela estiver em funcionamento e nem tente pegar restos de alimentos que caíram no chão com a máquina em operação. No setor de processamento de peixes, é imprescindível o uso de luvas com tela de aço, que impedem o contato direto das mãos com os peixes.

Eletrônicos
Existem pequenas máquinas em que um botão do lado esquerdo precisa ser apertado com a mão esquerda para a producão de placas. Apesar de estar escrito, nem sempre isso é seguido. Nesse setor, quando se faz banho químico em placas de circuito impresso, o funcionário precisa usar roupa especial e máscara porque o produto é perigoso.

Autopeças
Sempre desligar as prensas antes de trocar algum dispositivo. Quando se trabalha em duplas, movimentar a prensa apenas quando o outro der o ok. Há linhas operadas por robôs onde não é permitida a entrada de pessoas. Caso seja necessário entrar, deixe a porta aberta. Desta forma, o sensor paralisa o robô. Essa instrução costuma estar em português.
Seguro é obrigatório
Neide HayamaFaço testes para verificar o funcionamento do sensor da máquina. A empresa bonifica quem dá idéias para aumentar a segurança Mayumi Kawamura, 39 anos, mora em AichiAs empresas são obrigadas a pagar o seguro contra acidente de trabalho (rosai hoken). Os funcionários não precisam arcar com a taxa do seguro. Com isso, em caso de acidente, doença ou morte ocorridos no trabalho ou no percurso, o trabalhador recebe auxílio financeiro do governo. Para o seguro ser liberado para tratamento médico, conforme o manual do Ministério do Trabalho do Japão, o empregador atesta a solicitação do trabalhador acidentado, preenche os dados no requerimento depois de ser atendido no hospital autorizado que, por sua vez, encaminha o documento à inspetoria. Assim, o Departamento de Normas Trabalhistas efetua o pagamento dos gastos ao hospital.

Existe um outro tipo de requerimento quando o trabalhador acidentado pede tratamento médico, benefício pela ausência no serviço, invalidez, morte, funeral e assistência. Nesse caso, o empregador e o hospital atestam o pedido e o trabalhador encaminha à inspetoria que faz o pagamento. O caminho para se ter acesso aos benefícios e indenizações em caso de acidente de trabalho é burocrático. Às vezes, há resistência de médicos e funcionários do governo. Por isso, recomenda-se sempre ir acompanhado de uma pessoa que domine fluentemente o idioma japonês. O seguro cobre oito tipos de benefícios.

1- Indenização para tratamento médico (ryouyou kyuufu) Quando ficar doente ou sofrer acidente, o trabalhador tem direito de receber gratuitamente cuidados médicos nos hospitais. O tratamento médico para se recuperar do acidente também é gratuito (ou feito por reembolso)

2- Indenização durante licença (kyuugyou kyuufu) Durante o período de tratamento médico, o seguro paga 60% do salário, sendo acrescido de 20% de benefício especial pago pelo Serviço de Assistência Social do Trabalho.

3- Indenização por deficiência (shagai kyuufu) Se for constatado que o acidente deixou seqüelas no segurado, ele recebe o benefício na forma de pensão ou pagamento único. As seqüelas são classificados em 14 níveis. Grau grave: 1 a 7 - valor da pensão equivale de 131 a 313 dias de trabalho Grau leve: 8 a 14 - valor da pensão é feito em pagamento único de 53 a 56 dias de trabalho.

4- Indenização para a família do falecido (izoku kyuufu) É pago na forma de pensão ou pagamento único para a família.

5- Auxílio Funeral (sousai-ryou) Auxílio pago à pessoa que realizou o funeral do trabalhador. O valor básico é de 315 mil ienes.

6- Pensão por doença ou ferimento O pagamento da pensão ocorre depois de 1,6 ano, se a doença: a - não apresentou melhora b - quando a gravidade da doença se enquadra no grau determinado pelo Ministério do Bem-Estar Social do Trabalho

7- Indenização para quem necessita de cuidados pessoais (kaigo kyuufu) Quando o trabalhador necessita de auxílio de enfermeira, por exemplo. 8Benefício pela realização do segundo exame médico (ni-ji kenkou shindan kyuufu) Quando for diagnosticado alguma anormalidade nos itens referentes a “doenças cerebrais ou cardíacas”, durante exame médico periódico realizado pela empresa.
Inspetoria de Normais Trabalhistas

Neide Hayama

O trabalhador pode procurar a Inspetoria de Normas Trabalhistas em caso de acidente de trabalho ou para buscar mais informações sobre o assunto. Abaixo, estão os telefones dos escritórios nas províncias que contam com atendimento em português. Mas não são em todos os dias da semana.

Cada um tem dias específicos de atendimento.

Aichi 052-972-0253
Fukui 0776-22-2652
Gifu 058-245-8102
Gunma 0276-45-9920
Hiroshima 082-221-9242
Ibaraki 029-224-6214
Kanagawa 045-211-7351
Mie 059-226-2106
Nagano 026-223-0553
Okayama 086-225-2015
Osaka 06-6949-6490
Shiga 0748-22-0394
Shizuoka 054-254-6352
Tochigi 028-634-9115
Yamanashi 055-224-5611

Reportagem: Neide Hayama, de Gunma